Menu

A câmara | Relações Bilaterias

Introdução: as relações econômicas bilaterais

A cooperação económica constitui a pedra angular das relações entre Itália e Brasil, que estão vivendo uma época particularmente “frutuosa”. O IV Conselho de Cooperação, realizada em Brasília, no dia 15 de Abril de 2015 confirmou as fortes relações bilaterais, dando um novo impulso à cooperação econômica, próximo à abertura da Expo Milano, um evento que vê o Brasil entre os Países protagonistas, com um dos maiores pavilhões e com um tema intitulado "Brasil: alimentar o mundo com soluções."

As relações econômicas bilaterais: comércio e investimento

Alguns dados ajudam a explicar a importância do Brasil como parceiro para as empresas italianas, entre 2003 e 2014 o intercâmbio bilateral cresceu185%.A Itália, portanto, com uma participação de 2,75% do Mercado, continua a ser o segundo fornecedor europeu do Brasil, depois da Alemanha e à frente da França. As exportações da Itália para o Brasil são compostas por mais de 50% de produtos com alto valor agregado, como componentes para a indústria automotiva, máquinas de embalagem, helicópteros, vacinas, produtos terapêuticos e barcos a motor. Os segmentos da moda e do luxo no Brasil são muitos importantes em um País que tem experimentado um fenômeno único de crescimento da classe média (atualmente mais do 57% da população).
O censo da presença empresarial italiana - feito pela Embaixada - registra cerca de 890 filiais e instalações de produção em operação no Brasil. As empresas italianas no Brasil empregam mais de meio milhão de trabalhadores. Os investimentos italianos estão localizados nos Estadosdo sul e sudeste do Brasil (mais de metade das empresas estão concentradas no Estado de São Paulo), mas estão entrando no Nordeste (Pernambuco, Maranhão, Bahia), e no centro (Goiás, Mato Grosso do Sul), em Estados relativamente menos desenvolvidos,mas com taxas de crescimento mais elevadas do que o resto do País e que, portanto, têm maiores oportunidades.

As origens dos termos de troca entre a Itália e o Brasil

As relações políticas entre a Itália eo Brasil ao longo dos séculos sofreram uma tendência irregular.
Os anos 60 foram caracterizados pelas fortes relações entre a Itália eo Brasil. Este período coincidiu com o boom econômico italiano, particularmente devido ao desenvolvimento de grandes grupos industriais e da política de substituição de importações perseguidaem toda América Latina, tornando-se um importante centro para os grupos industriais italianos ansiosos para fazer investimentos substanciais.
Começou assim a aliança bi-regional entre a Itália eo Brasil, que culminou com a fundação do Instituto Ítalo-LatinoAmericano (IILA). Este período foi caracterizado por uma proximidade política, econômica e cultural muito forte entre a Itália e a América Latina e foi nomeado como a “Época do continente irmão” (Bitto e Salles, 2012).

Acordos Itália-Brasil

Desde 2007, começou uma parceria estratégica entre os dois Países, a fim de transmitir a educação ea formação para gerar riqueza humana e econômica. O conceito de igualdade, democracia, direitos humanos e o crescimento da colaboração são essenciais para permitir a todos o acesso às mesmas oportunidades e garantir uma sociedade mais igualitária.

Podemos resumir a parceria estratégica em quatro etapas:

  • 1. Reforçar as capacidades institucionais e operacionais das autoridades locais;
  • Contribuir para a formulação de políticas públicas e de governo a vários níveis;
  • Facilitar o intercâmbio de experiências e a transferência de conhecimento através de treinamento, conscientização e definição de novas metodologias;
  • Promover a participação das autoridades locais na cooperação para o desenvolvimento.

Vamos agora apresentar um resumo dos principais acordos assinados entre Itália e Brasil.

  • 1972 | Acordo Básico de cooperação técnica.
  • 1995 | Acordo-Quadro sobre Cooperação Cultural.
  • 1997 | Acordo-Quadro de Cooperação Econômica.
  • 2004 | Acordo de parceria para promover a cooperação em prol do desenvolvimento local.
  • 2007 | Acordo Básico de Cooperação Técnica entre o Governo da República Federativa do Brasil eo Governo da República Italiana sobre Cooperação Descentralizada.
  • 2009 | Acordo de Cooperação entre o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e Sociedade de Empresas Italianas no Exterior.
  • 2010 | Acordo Adicional sobre Cooperação Descentralizada, Decreto Legislativo 279.

Fonte:
-Embaixada da Itália no Brasil
-Tese: "La cooperazione decentrata. Uno studio comparato tra la legislazione italiana e la legislazione brasiliana" (Autor: Marisol di Vincenzo, Editor: Universitá di Torino, Progetto Unicoo)